26 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Enviar dinheiro para o Brasil

Existem muitas maneiras de mandar euros para o Brasil. Talvez as mais comuns sejam o Western Union (mais fácil) e os depósitos internacionais (mais barato).
Para envio de remessas através do Western Union, basta você ir até um agente local (encontre aqui o mais próximo de você) e apresentar o nome e o endereço do destinatário, sua identificação e o dinheiro correspondente. Ser-lhe-ão cobradas taxas proporcionais ao valor enviado – e elas não costumam ser pequenas.
Uma segunda opção - provavelmente mais em conta - é o depósito ou transferência internacional. Para tanto, você precisará ter uma conta corrente no Brasil e os correspondentes “Swift code” e “código IBAN” (International Bank Account Number). O código Swift do seu banco no Brasil você encontra neste link (se não encontrá-lo ou não souber qual é o seu – já que às vezes o mesmo banco possui mais de um código Swift - entre em contato com o seu banco ou procure no Google mais informações). O IBAN contém o número do banco, agência e conta (ambos com dígito) num formato de 18 dígitos: BBBAAAACCCCCCCCCCC, onde B é o número do banco (confira aqui o seu), A é o número da agência (4 números e mais o dígito verificador) e C é a conta corrente, com o dígito no final (com zeros à esquerda para preencher). Se, por exemplo, seu banco é o Banco do Brasil (001), agência 1234-5, conta 123456-7, então o seu IBAN será o seguinte: 001123450001234567. Com estes dados em mãos, pegue os seus euros (penso que haja um limite diário – talvez algo em torno de 2000 euros), vá até um banco italiano e faça o depósito internacional. Tal depósito leva cerca de 2 dias para aparecer na conta corrente brasileira. O banco italiano lhe cobrará também uma taxa pelo serviço (imagino que €10, embora esse valor varie). Dica: se possível, entre em contato com o seu banco e confirme todas estas informações antes de efetuar o depósito. Tente também obter o telefone do departamento responsável por remessas internacionais do seu banco brasileiro – não se assuste se não conseguir, pois a maioria dos bancários não recebe treinamento a referente a recebimento de ordens por Swift - e inclua este número no formulário de depósito (na Itália). Receber Feeds deste blog por email. Se tiver dúvidas, críticas ou sugestões, deixe aqui seu comentário ou envie-nos um email (através do formulário ao lado).
23 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Isenção alfandegária para brasileiros residentes no exterior

De acordo com a Receita Federal, brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil que permaneceram no exterior (Itália ou outro país) por mais de um ano e retornam ao Brasil têm direito - além da isenção de caráter geral para bagagem acompanhada, concedida a qualquer viajante - à isenção relativa aos seguintes bens, novos ou usados:
(1) Móveis e outros bens de uso doméstico; (2) Ferramentas, máquinas, aparelhos e instrumentos, necessários ao exercício de sua profissão, arte ou ofício (deve ser comprovada a atividade desenvolvida pelo viajante no exterior).
A permanência no exterior deve ser comprovada por meio de documentação idônea, tal como: passaporte, prova de freqüência à universidade, contrato de trabalho ou de aluguel, entre outros. Receber Feeds deste blog por email
20 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Confira a leitura do gás!

Na Itália, nossas contas são bimestrais (correspondem ao consumo de 2 meses) e agregam na mesma fatura o consumo de água, gás (muito usado no inverno, para aquecimento/calefação) e taxas de lixo (proporcional ao tamanho da sua casa e à quantidade de pessoas que nela residem). A conta de energia elétrica vem numa outra fatura, mas em algumas cidades você pode colocá-la junto à conta de gás e água.
Ainda em 2008, pouco tempo depois de chegarmos à Itália, fomos surpreendidos por uma conta de gás exorbitante (pouco mais de 500 euros). Assustados, resolvemos investigar o assunto. Olhamos o valor do consumo "estimado" pela empresa fornecedora de gás e percebemos que ele não correspondia ao número informado pelo nosso contador/leitor. Eles haviam nos cobrado a mais centenas de metros cúbicos, os quais não são nada baratos (a Itália importa gás natural). Imediatamente, ligamos para a empresa informando o erro e exigindo um ressarcimento, que veio apenas no bimestre seguinte. Desde então, todos os meses informamos a leitura real no site da empresa (ou seja, trabalhamos para a empresa, de certa forma, sem nada receber em troca).
No início do inverno de 2009/2010, poucos meses atrás, vimos num jornal local que cerca de 80% dos consumidores italianos pagam valores que não correspondem ao seu consumo de gás real (e as empresas, no bimestre correspondente à leitura superestimada, fazem - sistematicamente - aplicações financeiras com o dinheiro cobrado injustamente de você). Portanto, fique ligado: informe mensalmente (ou no máximo a cada 2 meses) sua leitura real à empresa fornecedora de gás (e água, se desejar)!
17 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Economia todos os dias...

Na Itália você deve ter sempre em mente que existem produtos de todos os tipos e preços. Tipicamente, a qualidade dos produtos italianos (e europeus) é sempre muito boa. Portanto, não se preocupe em comprar os produtos mais baratos, porque também estes são bons!
Há bastante diferença de preços de um lugar para outro e de um produto para outro. Portanto, pesquise sempre que possível (isso lhe garantirá uma economia talvez próxima de 50%). Sejamos mais específicos. Vejamos o (importante) caso dos supermercados, já que deles você será cliente assíduo e neles gastará boa parte do seu dinheiro.
Os supermercados costumam ter a marca “menor preço”. Este "título" varia. Cada supermercado atribui a isso um nome diferente (por exemplo: “Eco”, “Dico”, “Euro”, “$”, etc.), mas não levará muito tempo até que você o identifique...
Algumas vezes estes produtos não ficam muito à mostra. Costumam, por vezes, ficar nas prateleiras inferiores ou nos locais por onde os consumidores costumam transitar com menos freqüência. Mesmo assim, não se deixe intimidar! Estes produtos têm boa qualidade e são muito mais baratos, em média, que os seus concorrentes (provavelmente porque são produzidos pelo próprio supermercado que os vende).
Procure identificar também o(s) mercado(s) mais barato(s) “da praça”. Na nossa região (Emilia-Romagna), por exemplo, temos o "Dico" e o "Euro Spin", ambos com ótimos preços. Não obstante, fique sempre atento às promoções. Todos os dias muitos supermercados oferecem promoções em alguns (ou muitos) produtos. Você receberá semanalmente na sua caixa de correio alguns panfletos publicitários de supermercados da sua região informando-lhe a respeito das ofertas e promoções do momento. Seja planejado e, nos momentos oportunos, “encha a despensa”!
Receber feeds deste blog por email
15 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Cursos de Italiano

Se você pretende morar na Itália por um período considerável de tempo, seja para estudar, trabalhar ou por qualquer outro motivo, é fundamental que você fale italiano ou, no mínimo, tenha noções básicas desta língua. Para tanto, não basta rever no youtube as novelas italianas da Rede Globo. É preciso estudar!
Muitas vezes os imigrantes brasileiros não têm tempo para completar um curso de idiomas de longa duração (2-3 anos, por exemplo). Mesmo assim, saiba que existem os cursos intensivos (nos quais muitas vezes se avança, por exemplo, 1 semestre em 1 mês ou 3 semestres em 1). Existem também cursos (pagos e eventualmente até gratuitos) por correspondência ou via internet. O governo italiano também subsidia cursos (muito bons e baratos) de língua italiana (como estes no Paraná e em Santa Catarina).
A língua italiana, quando comparada com outros idiomas, não é difícil de aprender. É semelhante ao português em vários aspectos. Além disso, é muito importante que você tenha conhecimento da estrutura do idioma italiano para se expressar e se inserir no trabalho, na escola, na sua comunidade, etc. Os italianos valorizam sua dedicação, sua adaptação ao chegar à Itália será muito menos abrupta... Em resumo: seu esforço será recompensado, tenha certeza!
Se, todavia, você não puder estudar italiano no Brasil (pelo menos não tanto quanto gostaria), é válido lembrar que existem muitos cursos de italiano na Itália. Informe-se a respeito na lista telefônica da sua cidade, em murais de faculddades (onde muitas pessoas oferecem aulas particulares, por exemplo) ou no comune (prefeitura) da sua cidade (que normalmente disponibiliza uma lista de cursos de idiomas – alguns deles gratuitos, inclusive). Receber Feeds deste blog por email
13 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Custo de vida na Itália

Na Itália, o salário mínimo gira em torno dos €1000 mensais (+ 13º salário). A maioria dos trabalhadores (sem qualificação especializada) tem rendimentos mensais com valores semelhantes a este. Ou seja, uma pessoa consegue viver dignamente com este salário. Mesmo assim, o custo de vida na Itália varia em função de muitos fatores (local onde se mora, costumes/hábitos de vida, transporte público, etc.).
Vejamos a seguir estimativas de despesas mensais médias de um casal (2 pessoas, sem filhos):

Descrição
Custo (€)
Aluguel de um apartamento bilocale (2 quartos)
450-650
Água + energia elétrica + gás
50-100
Supermercado
200-300
Transporte (se necessário)
40-120
Outros gastos (lazer, medicamentos, educação...)
100-200
TOTAL
840-1370

Em poucos dias postaremos um artigo com dicas sobre gastos com supermercado. Nele você poderá checar preços de produtos através de alguns links... Receber feeds deste blog por email
12 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Trabalhar na Itália?

Se você pensa em trabalhar na Itália, é importante que saiba onde procurar trabalho. Existem muitos locais e maneiras de se encontrar trabalho. Talvez o melhor modo para começar sua busca (mais fácil, rápido e seguro) seja através dos Centri per l’impiego. Os centros de emprego são órgãos de competência provincial que oferecem serviços a trabalhadores e empresas com o objetivo de otimizar o equilíbrio entre oferta e procura de trabalho na região onde se localizam. Lá eles lhe darão orientações sobre vários aspectos ligados ao trabalho na Itália (como e onde procurar, curriculum, como contatar um empregador, contratos de trabalho, direitos e deveres trabalhistas, auxílios, etc.).
Outro modo relativamente prático e seguro de encontrar trabalho/emprego na Itália é através de agências de emprego (privadas) da Itália. Algumas delas atuam apenas em certas regiões italianas. Por isso, na lista que mostramos a seguir, você deve verificar a(s) que melhor se ajusta(m) às suas necessidades.
Quando visitar uma agência, não se esqueça de levar documentos que comprovem que você tem direito a trabalhar na Itália. E se as agências não forem suficientes, lembre-se que existem também os classificados de jornais ou revistas, anúncios em empresas (“cercasi...”) ou em murais de faculdades ou prefeituras (no comune de sua cidade, por exemplo, é provável que haja uma lista de ofertas), contato direto com o empregador, etc.
Dicas: antes mesmo de encontrar um trabalho, ou em caso de perda de emprego ou término de contrato/vínculo trabalhista, vá até o Centro per l'Impiego da sua cidade e providencie sua "dichiarazione dello stato di disoccupazione". Isso lhe será útil caso você fique 2 anos sem um trabalho formal com duração superior a 8 meses consecutivos. Neste caso, a empresa que lhe contratar a tempo indeterminado terá bônus fiscais (e você leva vantagem em relação a outros concorrentes). Você também terá direito a um salário desemprego se não encontrar emprego por 2 anos. Por fim, não se esqueça: na Itália é contra a lei cobrar (qualquer valor) de candidatos por serviços de busca de trabalho/emprego (agências podem cobrar apenas de empresas que oferecem vagas ou contratam novos trabalhadores). Receber feeds deste blog por email
09 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Telefone Celular na Itália?

Ao chegar na Itália, talvez você precise de um telefone celular. O sistema brasileiro (GSM) funciona em território italiano (e Europeu). Todavia, você deve verificar se o seu celular é “desbloqueado”, ou seja: se ele aceita chips de outras operadoras (se você utiliza a operadora TIM, isso provavelmente não será necessário, já que a TIM é italiana). Se o seu aparelho estiver bloqueado, procure desbloqueá-lo (informe-se a respeito em revendas de outras operadoras ou em lojas de aparelhos de telefonia móvel). Normalmente este procedimento técnico é rápido, simples e barato.
Se seu aparelho for GSM e estiver desbloqueado, você precisará comprar apenas um chip, que na Itália custa pouco (normalmente, €5-10 com €5 de crédito pré-pago já incluído). Existe também a opção dos planos pós-pago... Para mais informações (planos, tarifas, custos, aparelhos, internet móvel, ofertas, etc.), visite os websites das principais operadoras na Itália, que atualmente são: TIM (Telecom Italia), VODAFONE, Tre (3), WIND. Receber feeds deste blog por email
06 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Tessera Sanitaria e Codice Fiscale

Uma vez na Itália, providencie sua tessera sanitaria e seu codice fiscale tão logo quanto possível. O codice fiscale é, digamos, o seu “CPF italiano”. Ele é necessário, por exemplo, para que você abra uma conta bancária, compre algumas coisas, faça cadastros, etc. (veja aqui qual será o seu código). Já a tessera sanitaria lhe será útil em caso de doença ou de acidente. Ela lhe dará acesso à assistência sanitária imediata em qualquer país da União Européia. Ser-lhe-á necessária também para a compra de medicamentos em farmácias (os quais são vendidos somente com prescrição médica – dos "medici di base/famiglia").
Sendo assim, eis o que você precisa para obter tais documentos.
Codice Fiscale: é feito nas Agenzie delle Entrate (encontre o mais próximo da sua casa aqui). Basta ir até uma destas agências com o seu passaporte (ou permesso di soggiorno) em mãos. Em 5-10 minutos lhe darão o seu número/código (já válido) e em 15 dias chegará o seu cartão por correio (mais informações – em italiano).
Tessera Sanitaria: é feita tanto nas agenzie delle entrate como nas aziende sanitarie locali - ASL (encontre aqui a mais próxima). Você deverá apresentar o seu passaporte, o código fiscal, um comprovante de residência (é provável que seu contrato de locação seja suficiente) e o permesso de soggiorno válido (ou a richiesta di rilascio). Sua tessera sanitaria terá a mesma validade do seu permesso di soggiorno (perguntas freqüentes – em italiano). Receber feeds deste blog por email
05 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Residência

Uma vez registrado o seu contrato de locação (sua agência de imóveis lhe dirá como), lembre-se: você tem direito a requerer a permissão de residência italiana (permesso/licenza di residenza anagrafica). É importante que você solicite este documento, pois isso será necessário caso você precise, depois de um ano, renovar o seu permesso di soggiorno.
Para tanto, procure o comune (prefeitura) de sua cidade e siga as orientações por ele indicadas. Você provavelmente precisará do seu passaporte (e de seus eventuais dependentes), do seu permesso di soggiorno, declaração de residência (documento disponível no comune da sua cidade), e tradução juramentada (com carimbo do consulado) de sua certidão de casamento (se casado) ou nascimento (se solteiro). Confira aqui o “passo-a-passo” (em italiano).
04 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Minha carteira de motorista é válida na Europa?

Você deverá providenciar uma Permissão Internacional para Dirigir (PID) ou Licença Internacional de Condução (LIC) se pretende dirigir em território europeu (turistas podem locar automóveis e circular com suas carteiras nacionais de habilitação por até 90 dias). O PID/LIC é o documento que o habilita a conduzir veículos auto-motores da mesma categoria da sua CNH (A, B, A-B, C, etc.) em territórios estrangeiros. No Brasil, este documento é muitas vezes (erroneamente) referido como Carteira Internacional de Habilitação.
Para conseguir tal documento – que terá a mesma validade da sua carteira de motorista brasileira – basta que você vá até a CIRETRAN de sua cidade (veja aqui o DETRAN do seu estado e, dentro dele, o endereço e telefone da sua CIRETRAN) e solicite a PID/LIC. Para tanto, ser-lhe-á cobrada uma taxa (em torno de R$40 em SC, R$85 no RJ) e você deverá apresentar sua CNH válida e original (mais informações e países onde a PID é aceita). Receber feeds deste blog por email
03 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Permesso di Soggiorno

Se você vai mesmo morar na Itália e não é cidadão italiano, precisará de um Permesso di Soggiorno (permissão de estadia) igual à foto ao lado. Não esqueça que você deve requerê-lo em até 8 dias após pisar em solo italiano.
Para tanto, é importante que você procure o Sportello Immigrati (ou Sportello informativo per stranieri). Trata-se de um balcão de atendimento a estrangeiros (veja os endereços destes serviços na província de Parma). No Google você provavelmente encontrará os endereços destes serviços na sua província. No sportello immigrati eles lhe auxiliarão a providenciar e conferir seus documentos antes de enviá-los para a polícia. Neste link (em italiano) você tem acesso aos documentos necessários para requerer o seu primeiro permesso. São eles: um formulário de requerimento, seu atual passaporte com um fotocópia de todas as páginas, 4 fotografias, um contrasegno telematico ou marca da bollo de €14,62 (espécie de selo que você deve comprar numa tabaccheria, em qualquer esquina), e documentos relativos ao tipo de permesso que você vai solicitar.
Depois de apresentar todos estes documentos, você deverá ir ao correio, pagar a taxa (que varia entre €80 e €200), colocar tudo em um envelope e enviar para a polícia (os funcionários dos correios conhecem bem este procedimento, não se preocupe). O correio lhe dará, então, um comprovante (semelhante ao da foto ao lado) que você deverá guardar bem (é sua garantia de que você cumpriu o seu dever).
Depois de algumas semanas/meses, você deverá se apresentar - no dia e horário marcado pela polícia - no Ufficio Immigrazione (setor de imigração) da questura (delegacia) de sua cidade. Lá eles coletarão suas impressões digitais e você assinará alguns papéis. Só depois de mais alguns dias sua carta di permesso estará pronta. A polícia lhe notificará e você deverá, mais uma vez, ir até a questura retirá-la.
Lembre-se que o ufficio immigrazione muitas vezes não é, digamos, como um Shopping Center. Por (muitas?) vezes é desorganizado, tem pessoas (com costumes) de todo o mundo, policiais grosseiros, filas enormes... Vá de bom humor e encare esta experiência como um “estudo antropológico”. Ah! Encare com bom humor também o tempo necessário para que seu permesso fique pronto (muitas vezes mais de 6 meses – ou seja, algumas novelas no Brasil duram menos que isso!). Receber feeds deste blog por email
02 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Quanto dinheiro trazer?

Mesmo que você tenha uma fonte de renda garantida na Itália (salário, bolsa de estudos, etc.), é importante você trazer no bolso um (ou mais) cartão de crédito internacional (tente conseguir um bom limite com a sua operadora) e uma boa quantia em euros, pelo menos para os primeiros dias. Quanto? Isso depende muito!
Tenha em mente que, se você ainda não tem um lugar para morar, deverá gastar com hotel ou albergue (€30-60/dia). Depois que encontrar um “affitto” (aluguel), deverá pagar, além do aluguel, a “caparra” (caução), que muitas vezes equivale a 3 meses de aluguel (que lhe será devolvido findo período de locação, se o imóvel for entregue conforme as condições pré-estabelecidas). Se você alugar através de uma agência de imóveis (confira aqui alguns preços), isso lhe custará provavelmente o equivalente a um mês de aluguel (ou seja, lá se vão 5 meses de aluguel: 1 da agência, 3 da caparra e 1 do mês corrente (pago antecipadamente). Além disso, há ainda o custo de registro do contrato de aluguel (que normalmente é dividido entre você e o locador, mas que não lhe custará menos de €50) e os custos de instalação (novos contratos) de energia elétrica, telefone, internet, gás, etc. (caso tais contas fiquem no seu nome. Dica importante: se o locador aceitar manter estas contas no nome dele, mesmo que você as pague, aceite! Isso lhe poupará dores de cabeça futuras, além dos custos já mencionados). Ah! Esqueci de falar da taxa do permesso di soggiorno (permissão de estadia – entre €80-200), das compras de coisas para sua nova casa (eventualmente: móveis, utensílios de cozinha, equipamentos, etc.), e assim por diante...
Em síntese, prepare-se: antes mesmo de ver o Coliseu ou a Torre de Pisa, você vai se endividar um bocado! Receber feeds deste blog por email
01 fevereiro 2010

PostHeaderIcon Conta Bancária...

Se você for trabalhar ou receber dinheiro na Itália (através de uma bolsa de estudos, por exemplo), é importante que você abra uma conta bancária. Neste caso, opções é o que não faltam (confira aqui a lista de bancos). Todavia, lembre-se disso: os europeus são planejados e, se você também for, economizará em todos os sentidos (tempo, dinheiro, estresse, etc.). O fato é que muitos bancos cobram taxas administrativas elevadas. Portanto, informe-se na internet (ou por telefone) a respeito dos custos administrativos mensais para a manutenção de uma conta corrente italiana.
Dica: é um mau sinal se estas informações não estiverem disponíveis no online. Isso significa que: 1. O banco não publica tais informações porque isso não atrairia novos clientes (ou seja, tem custos elevados); 2. O banco não publica tais informações por desorganização ou por atribuir pouco valor à internet. Em ambos os casos tal empresa não merece o seu “voto”. Bancos com taxas caras ou fora da era digital estão “fora de moda” (por favor).
Antes de “bater o martelo”, confira com atenção o que o seu banco oferece (cartão de crédito, cheque especial, internet banking, etc.).  Internet banking na Itália é muito útil. Depender de atendentes de balcão em bancos italianos é o “fim da picada” (muitas vezes, eles são prolixos, grosseiros e conhecem pouco o métier). Fazer pagamentos, transferências, verificação de saldos e outras transações a partir da sua casa é muito mais fácil e confortável (sobretudo nos dias frios do inverno... ergh).
Pessoalmente, abri minha conta na Banca Nazionale del Lavoro (BNL). Não havia custo administrativo mensal e as transações via internet eram gratuitas. Este banco foi comprado por um grupo francês (BNP Paribas). Como íamos morar por 1 semestre na França, acabamos usufruindo dos mesmos benefícios no sistema bancário francês. Receber feeds deste blog por email

Regiões da Itália

Envie seu email


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


Mapa Italiano

Visitantes

free counters

Seguidores

Sobre os Autor